quinta-feira, julho 30, 2009

VIVAM OS POETAS!

D'véra, d'véra ess Poeta (Luis Romano) te vive,

Djoy Amado bé la d'mtôd pe trá prova d'os nóve!

Inda el oiél te b'bê un "Grugin de Móte" de sentontón,

Um nove obra já nescé de môn de Luis Romano, em homenaja à Januario Leite,

Nôs compatrióta e um Sentontonense que marká um époka!

Vida longa Luis Romano, PAZ Januário!

João Ninguém

Esse João Ninguém, esse taful* morgado,

Que tem muito café, batata e aguardente,

E bufa de través como vê toda a gente,

Um taberneiro foi outrora e bem coitado.


Vendia o seu bandalho e o mau peixe salgado,

Que vinha lá do Sal com traça, antigamente,

O grogo ou água-pé, tabaco e finalmente

Aos cálices vendia o mel envinagrado…


Hoje tem casa boa: habita um andar nobre,

Tem mulas no quintal, criadas e criados,

E faz por esquecer que explora e já foi pobre.


A sua estupidez, seus modos simulados,

Nos dizem cem cessar o que ele tanto encobre:

Palerma da ralé com bolsos recheados.

(*) Taful - O mesmo que peralta, janota.

(Santo Antão) António Januário Leite, poema retirado daqui


Imagem de António Januário Leite daqui


1 Comentários:

Benvindo Neves disse...

Boa Boltchôr
Kentinuá kess tróboi, pá! E'n dxés klesiria tmób konta de korpo, nunca!

Abraço

Blog Widget by LinkWithin